Quanto stress!

20 de dezembro de 2016

Ultimamente, muitas doenças de pele e cabelo que aparecem para mim no consultório estão relacionados ao stress. E o mais assustador é que as pessoas estão tão acostumadas a dormir mal, trabalhar horas a fio e não descansarem corretamente que em muitas ocasiões tenho que mostrar para a pessoa que o ritmo de vida dela é estressante por si só.

Sintoma comum no stress, a queda de cabelo é queixa constante. Causa de preocupação por uma paciente que começa a ver em todos os seus banhos muitos cabelos no chão ou o volume dele ao prender ficar cada vez menor.

Existem duas formas principais de queda capilar. Uma é mais localizada, chamada de alopécia areata,  surgindo como uma porção arredondada do couro cabeludo sem cabelo ou com uma rarefação considerável. Esse tipo de queda muitas vezes exige injeção local de corticóides para o seu tratamento, assim como tônicos. Mas afastar a causa do stress é crucial.

Outra forma seria a queda generalizada, conhecida como eflúvio telógeno. Esse fenômeno gera uma queda dos cabelos antes do tempo que deveria acontecer. Muitas vezes a suplementação de vitaminas, colágeno e uso de tônicos capilares e/ou tratamento com infra-vermelhos resolvem o problema.

O mais importante de tudo: descanse! Isso não é pecado nem vai deixar ninguém mais pobre. Separe um dia da semana para realmente esquecer a rotina e deixar o seu corpo se tratar.

Só tenho mais uma pergunta: já reaplicou seu protetor solar hoje?

Deixe uma resposta